Enfarte Agudo do Miocárdio

Imagem relacionada

O enfarte do miocárdio é a designação dada a um “ataque cardíaco”. É uma emergência médica que requer tratamento imediato.

O INEM designa, Enfarte Agudo do Miocardico (EAM), como uma das principais causas de morte em Portugal, ocorrendo quando se dá uma interrupção súbita da perfusão sanguínea coronária, prolongada e total ou quase total.

A maioria dos enfartes do miocárdio é causada por coágulos que, por sua vez, resultam do processo de aterosclerose, ou seja, o estreitamento e rigidez das artérias. A presença de níveis elevados de triglicéridos e de colesterol LDL conduz à formação de placas no interior das artérias, reduzindo o fluxo sanguíneo.

Quais os sinais de alarme?

Dor em forma de aperto, sensação de peso ou pressão no centro do peito. A dor tende a irradiar para as costas, braço esquerdo, maxilar ou pescoço.

A respiração torna-se irregular e rápida, bem como o ritmo cardíaco. Ocorrem tonturas, fraqueza, náuseas e vómitos, sudação e uma sensação de pânico.

Existem alguns conselhos importantes para proceder perante a suspeita de um EAM: manter uma atitude calma, sentar o doente, evitar que este faça qualquer tipo de esforço físico como levantar-se, caminhar ou até falar.

O diagnóstico é feito com base na avaliação clinica, realização de ECG (electrocardiograma) e análises de sangue. Poderão ser solicitados outros exames complementares.

O objectivo do tratamento é restabelecer o fluxo sanguíneo interrompido, de modo a preservar o mais possível o músculo cardíaco e a sua função. No hospital, serão utilizado medicamentos e/ou técnicas que permitem desbloquear a artéria entupida.

É possível reduzir o risco de ocorrência de um enfarte do miocárdio deixando de fumar, realizando exercícios aeróbicos (caminhar, nadar, andar de bicicleta) durante, pelo menos, 30 minutos diários em cinco dias da semana, reduzindo os níveis de stress e adoptando uma dieta saudável, pobre em gorduras saturadas e rica em fruta, vegetais e cereais. A manutenção de um peso adequado é igualmente muito importante.

Se existirem factores de risco, como a hipertensão arterial, diabetes ou colesterol, é essencial tratar e controlar todas essas condições que tendem a aumentar o risco de ocorrência de um enfarte do miocárdio.

 

 

 

Referências bibliográficas:

  • Rui Cruz Ferreira e col., Portugal – Doenças Cérebro-Cardiovasculares em números – 2013, Direção-Geral da Saúde, Setembro de 2013
  • University of Maryland Medical Center, Maio 2013
  • Sinais de Alarme de Enfarte Agudo do Miocárdio e Acidente Vascular Cerebral: Uma Observação Sobre Conhecimentos e Atitudes, Instituto Nacional De Saúde Dr. Ricardo Jorge Dez 2008
  • Cristina Gavina e col., Enfarte Agudo do Miocárdio, Hospital de São João, Porto
  • Sociedade Portuguesa de Cardiologia
Anúncios
Esta entrada foi publicada em Dicas da Enfermeira. ligação permanente.

2 respostas a Enfarte Agudo do Miocárdio

  1. Olga Ferreira diz:

    Muito bom!!

    Gostar

  2. Maria do Universo diz:

    Excelente

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s